terça-feira, 7 de junho de 2011

Instantes

7 comentários:

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa 3:37 da tarde  

"É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer."



Não sei porquê, lembrei-me.
A menina faz parte de ti?

Alex 5:04 da tarde  

Não faço ideia quem seja, estava por ali, ela e o pombo,à beira rio.


Bonito poema, além mar.

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa 11:53 da tarde  

Espero que tenhas avisado a miuda que ías por a foto aqui no "Duas Lentes". :-/

Manuel da Mata 4:33 da tarde  

Não é tão Louco como parece. A menina é muito linda. Está uma senhora.

Manuel da Mata 4:33 da tarde  

Gosto do poema, Louco!

Filoxera 8:58 da tarde  

Gosto do poema do Eugénio de Andrade quase tanto como da foto
;-)

  © Distributed by Blogger Templates. Blogger templates Newspaper III by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP