quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Viver na Beira-Mar



 Nunca o mar foi tão ávido
quanto a minha boca. Era eu
quem o bebia. Quando o mar
no horizonte desaparecia e a areia férvida
não tinha fim sob as passadas,
e o caos se harmonizava enfim
com a ordem, eu
havia convulsamente
e tão serena bebido o mar.
Autor:Fiama Hasse Pais Brandão, in "Três Rostos - Ecos"

6 comentários:

Braulio Pereira 4:23 da tarde  

oh.......MAR

eléva-me faz-me sonhar

beijos!!

Manuel da Mata 6:18 da tarde  

Boa malha, Piedade. Poesia e fotografia rimam. Beijo

IsaMaria 9:54 da manhã  

Lindíssima foto a condizer com as palavras feitas poema. BFSemana a todos dos DUas Lentes.

Era uma vez um Girassol 8:02 da manhã  

Titá, já há tempo não te visitava, também andei fugida dos blogues por falta de tempo e inspiração!
Retomei estes espaços com nova energia e tornei a encontrar-te.
És das resistentes, podes crer!
Tantos já desistiram, fugiram para as redes sociais...
Beijinho da flor....em Macau!

Fê-blue bird 3:39 da tarde  

Aqui bebeste o mar, a foto é LINDA!

beijinhos

Filoxera 12:14 da tarde  

Que bela consonância :-)

  © Distributed by Blogger Templates. Blogger templates Newspaper III by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP